Lançador de Avião
2* ciclo

A montagem da semana era desenvolver um lançador de avião de papel e lançar em diferentes tipos de formato aerodinâmico desenvolvidos pelos alunos,Lançar em lugares com um patamar mais auto do que o avião durante a decolagem do aviãozinho.

  

Dragster



Dragster é um tipo de veículo leve com motores extremamente potentes, especialmente projetados para provas de arrancadas em retas com um quarto de milha. Surgiram nos Estados Unidos na década de 1940.Os motores da categoria Top Fuel e "Funny Cars" podem utilizar combustiveis de alta combustão como nitrometano e podem alcançar até 8.000 hp de potência. Existem também os Jet Cars equipados com turbinas a jato oriundas de aviões de combate, mas que não têm o mesmo poder de arranque dos dragsters a nitrometano. As partes mecânicas que mais se desenvolveram nos dragsters foram os injetores de combustível e compressores e as embreagens que devem ter grande resistência para transmitir tanta potência às rodas de forma tão abrupta.
A aceleração de 0-100 km/h é feita de forma quase instantânea, e ao cruzar a linha de chegada, a velocidade passa dos 530 km/h. é aí que o piloto tem que acionar o paraquedas, já que o sistema de freios não é suficiente para estancar a velocidade.




Vídeo do Dragster em Ação



Corrida de Drasgter
                        câmera onboard do piloto
                     

Jipe Lunar

Um pequeno passo para o homem, um gigantesco salto para a humanidade.” Os primeiros passos de Neil Armstrong na superfície lunar mudaram o mundo, e acenderam a esperança de que a humanidade em breve conquistaria o cenário intergaláctico com colônias pelo espaço. Mal sabiam os homens da época, que passaram a ilustrar donas de casa em trajes espaciais e casas construídas sob bolhas na Lua, que o Universo pertenceria, na verdade, aos robôs.
A cruel superfície marciana, as longas viagens e os perigos desconhecidos do espaço são demais para o frágil corpo humano. Enquanto as pessoas não puderem equipar seus corpos com estruturas mais resistentes a esse tipo de aventura interplanetária, a saída é investir na segurança da tecnologia. A estratégia pode não ser tão poética quanto as pegadas de Armstrong no satélite natural da Terra, mas as máquinas vão para onde forem enviadas, trabalham dia e noite e não precisam retornar à Terra.

Fonte : estado de Minas

Reprodução do solo da Lua (Rochas e Areia)




vídeo do jipe lunar em ação